São Chico - Novo projeto

Bem-vindo a Aulas Marta Hasse
Ir para o conteúdo



EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Brasão de São Francisco do Sul
Brasao do Estado de Santa Catarina
                                                                                                                   



Em breve, nova filial da nossa escola nesta bela cidade: São Francisco do Sul




São Francisco do Sul é a cidade mais antiga de Santa Catarina e a terceira cidade mais antiga do Brasil.
Colonizada por portugueses e espanhóis, seu descobrimento data de 5 de janeiro
de 1504 através da expedição de Binot Paulmier de Gonneville. Sua primeira ocupação, foi feitaBandeira do Brasil
temporariamente por espanhóis por volta de 1553.

Em 1640, Gabriel de Lara, "Alcaide mór, Capitão mór, Povoador da Vila de Nossa Senhora do Rosário da
Capitania de Paranaguá", com portugueses e vicentistas, procedentes de Paranaguá, fundou a 3 de
dezembro de 1641 a Vila de Nossa Senhora da Graça do Rio São Francisco.

Em 1658, Manuel Lourenço de Andrade, acompanhado por casais portugueses e paulistas chegou a São
Francisco, com plenos poderes, concedidos pelo Marquês de Cascais, para povoar a terra, repartindo-a
entre a sua comitiva e os que fossem chegando. Já em 1660 foi elevada à categoria de vila e tornou-se
paróquia, recebendo seu primeiro vigário, o Padre Manuel dos Santos.

A glória da fundação do primeiro estabelecimento catarinense atribuem os historiadores, tanto a Andrade
como a Lara, segundo o livro Colonização do Estado de Santa Catarina - Dados históricos e estatísticos
(1640-1916) - Secretaria Geral dos Negócios do Estado - 1917. seria necessário e justo com Angelo Francisco,
que foi, na verdade, o primeiro povoador da ilha de São Francisco. Em 1847 é elevada a categoria de cidade.



Alguns dos lugares que poderá visitar em São Francisco do Sul:

Todas as imagens tem zoom, clique nelas para aumentar


Museu Nacional do Mar

O Brasil tem um imenso litoral com quase 8.000 km. Some-se a isso as grandes bacias hidrográficas formadas por rios,
lagoas e lagos. Por força da utilização pelo homem desses recursos naturais como meio de sobrevivência, existem mais
de 250 estilos de embarcações, mais de 100 tipos de canoas, dezenas de espécies de jangadas. O que faz Brasil o mais
rico do mundo em tipos de embarcações. O Museu Nacional do Mar foi criado justamente para preservar um número
significativo de embarcações, instrumentos navais e apetrechos de bordo, valorizando a arte e o conhecimento dos homens
que vivem das águas. Situado na Ilha de São Francisco do Sul, berço da mais antiga povoação de Santa Catarina, o Museu
do Mar ocupa amplos e centenários galpões com mais de 7.000 m². A arquitetura eclética tem influência alemã, com
impressionante estrutura de madeira, e está implantada à beira da Baía da Babitonga. Pelo acervo atual, pelo trabalho que vem
sendo desenvolvido e pelo seu potencial, o Mu
seu do Mar já é o mais importante da América Latina e será o de maior variedade
do mundo. Orgulho de Santa Catarina e do Brasil, um lugar para visitantes de todas as idades.








Palácio da Praia do Motta

O Museu Histórico de São Francisco do Sul, localizado a rua Coronel Carvalho, é uma das mais antigas edificações da Ilha de
São Francisco.
Construído no final do século XVIII, foi utilizado, segundo o costume da época, como Câmara dos Vereadores e Cadeia Pública,
sendo que, serviu de prisão á líderes revolucionários por ocasião da Guerra do Contestado, era conhecido na época como
"Palácio da Praia do Mota".
O Museu Histórico Municipal, abriga em suas salas e celas, vários objetos doados pela comunidade francisquense, tais como:
documentos, plantas, jornais e utensílios, comuns ao dia a dia dos antepassados do povo francisquense. A história da comunidade
francisquense, é belamente ilustrada, nas várias fotografias inseridas nas paredes das celas, sendo que no pátio exterior,
encontram-se expostos moinhos de cana e mandioca, bem como, uma máquina utilizada na fabricação de telhas, e um carro
fúnebre do início do século, além disso, existe também uma, cela solitária, que era utilizada na detenção de doentes mentais e
perigosos criminosos.








Forte Marechal Luz


Situado no litoral norte, o Forte Marechal Luz dista apenas 17 km do centro histórico da Ilha de São Francisco,
e constitui-se numdos pontos de mais rara e expressiva beleza do litoral norte catarinense. A fundação do forte
ocorreu durante o ano de 1909, sobre as ruínas do antigo forte, visando a fortificação militar daquela região,
sob a direção do tenente "Alberto Eduardo Becker". Em novembro de 1915, ocorreu a implantação da 5ª Bateria
Independente de Artilharia de Costa, tendo como seu primeiro comandante o então na época tenente Vítor
Francisco Lapagesse. Excursionando forte à dentro, os turistas trilharão por uma estrada de barro, que dá acesso
ao Morro João Dias, onde em seu topo, encontra-se uma bateria de artilharia de costa, composta de quatro canhões
Armstrong, dois 120mm QF(Quick Fire) e dois 152mm BL ( Breach Loading) e datados 1893 na cunha, em reparo naval,
originados  do Cruzador Benjamin Constant (notas do Maj. Alvaro C Pereira), que possibilitariam a defesa de costa em
caso de situações belicosas, dado o caráter de instabilidade política mundial daquela época. A bateria anteriormente    
mencionada, é palco, todos os sábados pela manhã no horário das 08:00 horas, da troca da bandeira, efetuada pela guarnição de serviço, com trajes de época, que efetuam uma
salva de disparos de canhão. Ressalte-se que o nome doforte é uma homenagem ao
marechal Francisco Carlos da Luz.

        







Mercado Público Municipal



O prédio do mercado público municipal, após quatro anos de construção, foi inaugurado em 20 de janeiro de 1900, na
administração do Luís Gualberto. O atendimento ao público era realizado através de uma bateria de boxe na área
central e outra na parte externa da edificação, servindo como centro comercial de São Francisco do Sul por várias décadas.
As acomodações para comercialização de pescados foram concluídas em 1928, anexas ao prédio principal. Os produtos
agrícolas oriundos do Distrito do Saí e a produção pesqueira artesanal da Baía da Babitonga, foram sempre preferidos
pela população francisquense. O conjunto arquitetônico do mercado municipal foi restaurado em 1976, na administração do José Schmidt, ficando o atendimento restrito a sua parte interior, diversificado em produtos e serviços, com predominância para o artesanato e lembranças locais.







Igreja Nossa Senhora da Graça


Em 1768, a população decidiu construir o novo templo. A melhora financeira decorrente da tributação sobre farinha, peixe e
aguardente permitia o empreendimento. A construção ficou a cargo do pedreiro Caetano Gomes da Costa. A cobertura foi feita
em 1793, com o apoio financeiro da população.

A Igreja Nossa Senhora da Graça foi reformada em 1926, descaracterizando-se. Na ocasião, ela ganhou a segunda torre,
perdendo o desenho original. A Igreja Matriz abriga a imagem de Nossa Senhora da Graça. Esculpida numa única peça de madeira, a imagem foi trazida pelos espanhóis, em 1553

Quando em 1642, Antônio Fernandes iniciou a povoação da vila, já existia por aqui uma capela sob a invocação de Nossa Senhora
da Graça, ignorando-se a época e o local de sua construção. Mais tarde, com o povoamento iniciado por Manuel Lourenço de Andrade
em 1658, foi construída uma nova igreja sob a invocação da mesma santa. Em 1768, em função da prosperidade alcançada pela vila,
resolveram, o Conselho, juntamente com os principais da vila e com o povo, edificar um novo templo na localidade; a fiscalização
da obra foi dada ao vigário da época Padre Manuel de Nazaré e contratado para construtor e pedreiro Caetano Gomes da Costa que
foi ajudado pelos milicianos, pelos escravos e também pelo povo. A argamassa utilizada na construção era composta de cal de concha,
areia e óleo de baleia. O construtor havia orçado a obra da igreja em 500 mil réis. Foi processado e multado pelo conselho por ter
ultrapassado o orçamento, sem ter iniciado o reboco interno e a pintura. Tais melhoramentos somente tiveram andamento 20 anos
após, contando com o apoio financeiro de toda a população. A encomenda da pia bastimal e mais duas pias para água benta foram
contratadas em 1802, pela câmara, ao mestre pedreiro José da Encarnação.
Complementando as obras de implantação da matriz,
foi trazido do Rio de Janeiro, em 1823 o órgão que até hoje é utilizado nos atos religiosos.








Muito mais poderia ser dito sobre esta antiga e bela cidade.
Mas isso ficará para mais tarde.








Os nossos agradecimentos á Vikipedia por tão preciosa informação





@ Direitos resevados, proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização. Lei nº 9610/98.


Voltar para o conteúdo